O Beco pra Liberdade se fazer
Yasmim de Menezes França O Beco pra Liberdade se fazer


Este livre é um resultado do exercício infinito de falar junto. Vem de uma pesquisa de mestrado em Psicologia Social na Universidade Federal do Rio de Janeiro, e do imenso desejo de que este caminho fosse mais simples e afetuoso. Entre 2018 e 2019 estivemos com jovens em cumprimento de medida judicial de semiliberdade no Rio de Janeiro, mas também com suas famílias e os/as funcionários(as) do sistema socioeducativo, conversando sobre liberdade e participação. Compartilho, aqui, estes diálogos de arrepiar meus pelinhos do braço, articulados com leituras e vivências que nos fizeram questionar o que se propôs no Brasil enquanto “protagonismo juvenil”. Vimos que, para construir processos participativos e, assim, fazer com que a política pública seja mais eficaz para melhorar a vida das pessoas, é preciso deixar de lado os modelos de participação pré-fabricados e ouvir mesmo, e principalmente, aquilo que desafina. Abrindo espaço, quem fez-se presente foi a favela e os modos de existir contornados por ela, além da percepção coletiva de que estamos, na mesma cidade, em mundos opostos. Entendemos que é preciso aprender a conversar para que os mundos façam melhor que guerrear, sendo, portanto, responsabilidade de todos nós construir pequenas vias onde a liberdade não seja apenas palavra escrita em muros de grandes prisões.

40.00

O Beco pra Liberdade se fazer

R$ 40,00

3x sem juros de R$ 13,33

Qtd:  


Yasmim de Menezes França


ISBN: 9786586137187
Páginas: 178
Tamanho: 16x23
Idioma: Português
Ano de Publicação: 2021

Autor: Yasmim de Menezes França


Yasmim de Menezes França


ISBN: 9786586137187
Páginas: 178
Tamanho: 16x23
Idioma: Português
Ano de Publicação: 2021

  - OU -  

Coloque o destino para simular o frete.

CEP:


Este livre é um resultado do exercício infinito de falar junto. Vem de uma pesquisa de mestrado em Psicologia Social na Universidade Federal do Rio de Janeiro, e do imenso desejo de que este caminho fosse mais simples e afetuoso. Entre 2018 e 2019 estivemos com jovens em cumprimento de medida judicial de semiliberdade no Rio de Janeiro, mas também com suas famílias e os/as funcionários(as) do sistema socioeducativo, conversando sobre liberdade e participação. Compartilho, aqui, estes diálogos de arrepiar meus pelinhos do braço, articulados com leituras e vivências que nos fizeram questionar o que se propôs no Brasil enquanto “protagonismo juvenil”. Vimos que, para construir processos participativos e, assim, fazer com que a política pública seja mais eficaz para melhorar a vida das pessoas, é preciso deixar de lado os modelos de participação pré-fabricados e ouvir mesmo, e principalmente, aquilo que desafina. Abrindo espaço, quem fez-se presente foi a favela e os modos de existir contornados por ela, além da percepção coletiva de que estamos, na mesma cidade, em mundos opostos. Entendemos que é preciso aprender a conversar para que os mundos façam melhor que guerrear, sendo, portanto, responsabilidade de todos nós construir pequenas vias onde a liberdade não seja apenas palavra escrita em muros de grandes prisões.

Fazer um comentário

Seu Nome:


Seu E-mail


Seu Comentário: Obs: Não há suporte para o uso de tags HTML.

Avaliação: Ruim           Bom

Digite o código da imagem:





O Beco pra Liberdade se fazer

R$ 40,00

3x sem juros de R$ 13,33